sábado, 20 de outubro de 2012




Escrevo pela necessidade de escrever
                            Escrevo para me entender
    Escrevo para não esmorecer
                                     Escrevo para me salvar
        Escreve para me doar

                          Escrevo por me amar

                              Escrevo, 
                                        escrevo, 
                                                                                                                                               escrevo...
                                                                                                     
                                                                                                     Autora-Iraci Sartori

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Pinturas de Van Gogh

Van Gogh é considerado um dos principais representantes da pintura mundial. Nasceu na Holanda, no dia 30 de março de 1853. 
Em Arles, fez único quadro que conseguiu vender durante toda sua vida : 
A Vinha Encarnada.
 Seu estado psicológico chegou a refletir em suas obras. Deixou a técnica do pontilhado e passou a pintar com rápidas e pequenas pinceladas. No ano de 1889, sua doença ficou mais grave e teve que ser internado numa clínica psiquiátrica. Nesta clínica, dentro de um mosteiro, havia um belo jardim que passou a ser sua fonte de inspiração. As pinceladas foram deixadas de lado e as curvas em espiral começaram a aparecer em suas telas

domingo, 29 de julho de 2012

Paradoxo

Ser alegre e triste ao mesmo instante,


Ter alguém tão perto e tão distante,

Aproximar-se e recuar,

Querer  ao mesmo tempo e não querer, 

Quantas Incertezas o coração gera.
Elas entorpecem a alma e faz a ação paralisar,

Mas, os olhos  hesitantes
conseguem perceber a grande primavera
 que ainda advirá.

Autora- Iraci Sartori

domingo, 15 de julho de 2012

O sonho


Sonhe com aquilo que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.

Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes não tem as melhores coisas.

Elas sabem fazer o melhor das oportunidades
que aparecem em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.

Para aqueles que se machucam
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passaram por suas vidas.

domingo, 1 de julho de 2012

De repente

Quisera eu congelar o tempo no momento de alegria , 
de beleza radiante;
 quando a brisa é tão serena e calmante.

Quando nesse mesmo instante a balar na rede da varanda, 
ouço o canto dos pássaros 
e da natureza permaneço mais e mais amante.

Quisera-me permanecer e não passar,
 alongar aquilo que é ameno e sublime 
e torná-los mar.

Mas o efêmero é irremissível!

Quisera eu... Quisera eu...

Autora: Iraci Sartori 



domingo, 13 de maio de 2012

Eu sei II


No último poema que escrevi, pintei a vida tão triste e tão amarga
que fiquei com cisma de mim. 
Gostaria que entedessem que o que escrevo é libertação
E que amo a vida, amo-a  como uma canção.

Canção,
hora triste,
hora alegre,
hora serena,
hora agitada.

Danço conforme seu ritmo,
às vezes tento mudá-lo, mas 
a tentativa é em vão. 

Assim sigo...

Como toda mulher, já sonhei os sonhos mais ternos e lindos,
Desses muitos, mas muitos mesmos, eu realizei,
Outros naufragaram no mar da vida,
Vi os indo embora, e não pude salvá-los.

Mas, quero nesse poema pintar a vida de forma bela:
Imagine a beleza das flores,
Imagine a beleza das cores,
Sinta a canção que fala de amores,
Sinta o vento, esqueça o tempo,
Perceba o luar, olhe as estrelas,
Escute os passáros,
Escute o teu coração,
Faça a sua oração,
Pois, a Vida, caro leitor...
É tudo de bom!

Iraci Sartori

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Eu sei

O que me resta?

A solidão
A dor
As lamentações
O tempo
O espaço
Os sonhos adormecidos

O que quero?
Os sonhos de adolescente
O riso
Alguns momentos felizes
A paz
A serenidade
E uma trégua na dor

O que penso?
Na vida injusta
No sonho não realizado
Na decepção com ser humano

O que quero?
Respostas.

Mas, sei que vale a pena viver
Pela inocência e pelo sorriso da criança.

 Iraci Sartori

domingo, 6 de maio de 2012

Personagem

 
Teu nome é quase indiferente
e nem teu rosto mais me inquieta.
A arte de amar é exactamente
a de se ser poeta.

Para pensar em ti, me basta
o próprio amor que por ti sinto:
és a ideia, serena e casta,
nutrida do enigma do instinto.

O lugar da tua presença
é um deserto, entre variedades:
mas nesse deserto é que pensa
o olhar de todas as saudades.

Meus sonhos viajam rumos tristes
e, no seu profundo universo,
tu, sem forma e sem nome, existes,
silêncio, obscuro, disperso.

Teu corpo, e teu rosto, e teu nome,
teu coração, tua existência,
tudo - o espaço evita e consome:
e eu só conheço a tua ausência.

Eu só conheço o que não vejo.
E, nesse abismo do meu sonho,
alheia a todo outro desejo,
me decomponho e recomponho.

Cecília Meireles