sábado, 14 de novembro de 2009

Crônica

Acidente de Trabalho

No dia 4 de outubro de 2009, aconteceu um acidente de trabalho na firma Top Engenharia, um acidente muito grave. Por falta de sinalização no trecho da obra, o tratorista estava na pista, varrendo para fazer o tratamento e estava com muito pó no ar e não dava para ver quase nada.
Passavam muitos carros, até que um ônibus estava descendo e viu o trator e parou, ligou o alerta, os outros carros pararam também, só que o caminhão vasculante, terceirizado pela firma, estava meio sem freio, ele veio descendo o topo muito rápido, quando percebeu já era tarde, então tirou o caminhão de lado. Mesmo assim aconteceu um acidente, arrastou um trator mais ou menos uns 100 metros.
O tratorista teve ferimentos muito grave e seus companheiros de trabalho foram prestar socorro. Nesse momento havia uma ambulância passando e o colocaram nela.
Ele saiu em coma rumo ao hospital. E por volta das 22 horas veio ao óbito. Mas a firma não respeitou a morte do funcionário, foram companheiros que pararam o serviço para prestar uma homenagem ao colega de trabalho.
Um ótimo companheiro de Trabalho, que Deus tenha um bom lugar para ele lá no Céu.


Aluno: Evanderson dos Santos


terça-feira, 10 de novembro de 2009

Resposta a curso escrevendo o futuro- Poema

Olá amiga Maria Conceição e demais interessados.
Entendo a sua dúvida sobre como trabalhar com poemas, mas fica tranquila, pois não é tão difícil assim.
Leve à sala de aula uma variedades de poemas. Escolha um para expor na lousa, de preferência que seja simples e belo, sugestão: poema Tem tudo a ver (Elias José), depois da leitura realizada por você, faça com que os alunos percebam que a estrutura do texto é diferente dos demais gêneros que eles estão acostumados. Mostre-lhes os versos, estrofes e os sons do poema. Depois distribua os demais poemas fotocopiados para a leitura individual ou em grupo e depois de uns quinze minutos peça para que eles leiam o poema recebido.
Depois disso você pode fazer rimas na lousa de forma coletiva e aproveitá-las para montar poemas em grupo.
Querida esse é só um começo, há vários caminhos e vamos descobri-los juntas.
Beijos,


Tem tudo a ver (Elias José)

A poesia
tem tudo a ver
com tua dor e alegrias,
com as cores, as formas, os cheiros,
os sabores e a música
do mundo.

A poesia
tem tudo a ver
com o sorriso da criança,
o diálogo dos namorados,
as lágrimas diante da morte,
os olhos pedindo pão.
A poesia
tem tudo a ver
com a plumagem, o vôo e o canto,
a veloz acrobacia dos peixes,
as cores todas do arco-íris,
o ritmo dos rios e cachoeiras,
o brilho da lua, do sol e das estrelas,
a explosão em verde, em flores e frutos.

A poesia
- é só abrir os olhos e ver -
tem tudo a ver
com tudo.


AUTOPSICOGRAFIA (Fernando Pessoa)

O poeta é um fingidor
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.
E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.
E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

sábado, 28 de março de 2009

A vida é um caminho a ser percorrido com pedras e flores


Quem me dará um ombro amigo...

video

Traição Virtual

HUMOR
Como salvar o casamento pela Internet
Primeiro, eram as mulheres que reclamavam do casamento dos maridos com a Internet. Agora, são eles que se assustam com o interesse das entediadas esposas pelas conversas via Internet com paqueradores virtuais.
Esta história revela o surgimento de um terceiro nível nos relacionamentos virtuais. Foi repassada à lista Novo Milênio em 27/8/2001 pelo internauta Sérgio/Sean, que a recebeu de outra lista eletrônica de debates, A Amaresia, por sua vez como repasse da lista Guerreiros da Luz, e que também a repassou à lista Alma Gêmea e agora eu copiei aqui (ufa!...):


Traição virtual
Walcyr Carrasco

Será possível salvar um casamento pela internet?
A vida conjugal não andava lá essas coisas. Cada vez mais tempo, a mulher no computador.
– Estou montando um relatório.
Nada mais normal. Ela trabalhava em marketing. Gente de marketing vive conferindo pesquisas, fazendo relatórios. Até se admirou, com tanto empenho profissional. Começou a ficar preocupado quando despertou às 2 da manhã e ela continuava teclando.
– Você não vem deitar?
– Já vou, meu amor.
E plact, plact, plact. Estranhou. Dormiu novamente. Teria esquecido completamente, se não fosse a distração da cara-metade. De manhã, enquanto ela dormia, notou o computador ligado. Mexeu no mouse. A proteção de tela desapareceu para dar lugar a um e-mail endereçado a... Felina!
"A conversa de ontem à noite foi o máximo. É difícil encontrar uma mulher como você, é o que vivo procurando a vida toda. Qual o seu nome verdadeiro? E o telefone? Vamos nos conhecer, logo. PS: Estou louco para ver sua tatuagem no finzinho da espinha. Beijos do ET."
Gelou. Em seguida, sorriu. Só podia ser engano. Tatuagem a mulher não tinha. Ainda mais, iria se interessar por um sujeitinho de codinome ET? Desligou a máquina. Fingiu que nada tinha acontecido e foi trabalhar. Ao chegar de noite, a surpresa.
– Meu bem, adivinha o que eu fiz?
– Uma... tatuagem?
Sorriu, surpresa.
– De hena! Como adivinhou?
Seu primeiro impulso foi atirá-la pela janela. Resolveu ser civilizado.
– Aposto que é no finzinho da espinha!
– Nooossa! Acertou de novo.
Correu a tomar um banho para não explodir. Perder a mulher já é difícil. Para um homem virtual, é desprezível. Revolveu-se na cama, enquanto ela teclava na internet. Imaginando os flertes. As promessas virtuais. Quem sabe, mais que promessas. Ouvira dizer que, muitas vezes, acontece de tudo em um chat. Tudo. Menos gravidez. Por enquanto. No dia em que os computadores se aperfeiçoarem nesse sentido, vai ser uma explosão demográfica! No dia seguinte, confidenciou ao melhor amigo:
– Estou sendo traído pelo computador.
Chegou mais cedo. Abriu a agenda. A esquecida tinha mania de anotar tudo. Procurou. Lá estavam, enrustidas numa página, as senhas e uma lista enorme de e-mails, todos aparentemente masculinos: o já mencionado ET, Gladiador, Maschio, Ed, 007, Tom Cruise.
Espantou-se. Correu para o computador. Invadiu a caixa postal secreta. Muitas promessas.
Até agora, não parecia ter se encontrado com ninguém. Ainda podia salvar o casamento!
O pior era sentir-se tão pequeno, tão desprovido de encantos, com seu nariz de guarda-chuva e as entradas na testa. Como enfrentar um adversário revestido de fantasias? Capaz de ficar alto, atlético, de olhos verdes a um simples toque na tecla?
No dia seguinte, comprou um laptop. Pretextou excesso de trabalho. Botou na sala de jantar, por sorte tinha duas linhas telefônicas. Ela passa as noites no escritório, entrando nos chats como Felina. Ele vai atrás, busca por Felina e começa a jogar charme.
– Oi, tenho 21 anos e pratico surfe...
– Tudo bem? Tenho 32, sou advogado e queria um relacionamento profundo com uma mulher carinhosa...
– Sou alto, forte, meigo e gostaria de viver loucas noites de amor...
A cada dia, reconquista a mulher com uma nova personalidade. Possui vários endereços alternativos. As caixas postais estão repletas de e-mails da Felina. Ela já tirou a tatuagem porque ele pediu. Cortou os cabelos. Está aprendendo a cozinhar. A cada dia se aproxima ainda mais da mulher ideal. Ele só torce para tudo continuar no virtual. E que ela nunca faça questão de conhecer algum daqueles homens maravilhosos nos quais se transformou.

Hino Nacional Brasileiro Ilustrado

video

Sorria um pouco!

Um plano genial
Barão de Itararé
Joaquim Rebolão estava desempregado e lutava com grandes dificuldades para se manter. A sua situação ainda mais se agravava pelo fato de ter que dar assistência a um filho, rapaz inexperiente que também estava no desvio.Joaquim Rebolão, porém, defendia-se como um autêntico leão da Núbia, neste deserto de homens e idéias.O seu cérebro, torturado pela miséria, era fértil e brilhante, engendrando planos verdadeiramente geniais, graça; aos quais sempre se saía galhardamente das aperturas diárias com que o destino cruel o torturava.Naquele dia, o seu grude já estava garantido. Recebera convite para um banquete de cerimônia, em homenagem a um alto figurão que estava necessitando de claque. Mas o nosso herói não estava satisfeito, porque não conseguira um convite para o filho.À hora marcada, porém, Rebolão, acompanhado do rapaz, dirige-se para o salão, onde se celebraria a cerimônia. Antes de penetrar no recinto, diz a seu filho faminto:— Fica firme aqui na porta um momento, porque preciso dar um jeito a fim de que tu também tomes parte no festim. Já estavam todos os convidados sentados nos respectivos lugares, na grande mesa em forma de ferradura, quando, ao começar o bródio, Rebolão se levanta .e exclama:— Senhores, em vista da ausência do Sr. Vigário nesta festa, tomo a liberdade de benzer a mesa. Em nome do Padre e do Espírito Santo!— E o filho? — perguntou-lhe um dos convivas.— Está na porta — responde prontamente. E, voltando-se para o rapaz, ordena, autoritário e enérgico:— Entra de uma vez, menino! Não vês que estes senhores te estão chamando?
(1955)

"Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas ainda não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos."" O homem e o lobo do Homem"